A+ A A-
Menu
Loading
http://stedile.med.br/modules/mod_image_show_gk4/cache/blankinterna.pnglink

Dr. Júlio Stédile, M.D.

Cirurgia Plástica Facial & Otorrinolaringologia

Cirurgia Plástica Facial
&
Otorrinolaringologia

Ronco/Apnéia

RONCO E APNÉIA DO SONO

ronco_01A qualidade do sono é parte integrante da qualidade de vida do indivíduo, proporcionando que o organismo repouse e se restaure paras atividades do dia seguinte. Algumas pessoas, no entanto, podem apresentar distúrbios do sono que comprometem seu efeito restaurador e geraram efeitos não benéficos para a saúde e que repercutem sobre as atividades diárias e saúde. Uma vez que passamos praticamente um terço da vida dormindo é importante saber identificar e tratar os distúrbios que afetam a qualidade do nosso sono e conseqüentemente nossa qualidade de vida. O ronco e apnéia obstrutiva do sono são distúrbios que resultam normalmente da combinação do estreitamento da via aérea superior e relaxamento da musculatura da faringe, orofaringe e língua, ocasionando assim o colapso da região durante o sono.

Ronco

ronco_02É um importante sinal e sintoma que atinge grande parte da população. O ronco primário (ronco não associado a apnéia acomete 40% da população adulta)  pode estar presente em qualquer fase da vida e ser importante indício de uma série de patologias que podem envolver o aparelho respiratório e pode estar associado a uma série de doenças (ou seja , múltiplos fatores podem contribuir ou agravar o ronco). O paciente que ronca deverá ser detalhadamente investigado para analisar os fatores que estão contribuindo para o hábito de roncar e ser avaliada a presença ou não de apnéia do sono. Conforme as causas do ronco, o médico indicará os procedimentos mais adequados para solucioná-lo.

Entre as principais causas de ronco ou fatores associados ao agravamento do ronco podemos citar:

  1. Obstrução nasal : decorrente de desvio septal, alterações externas do nariz, hipertrofia de adenóides e cornetos, pólipos nasais, insuficiência da válvula nasal, alterações da estrutura nasal)
  2. Flacidez do palato mole, úvula  e faringe lateral
  3. Hipertofia de amígdalas e língua
  4. Ptose da língua ( queda da língua para região posterior da garganta)
  5. Micrognatia ( mandíbula pequena), retrognatia
  6. Pescoço curto e com grande adiposidade ( gordura)
  7. Hipotireoidismo e bócio
  8. Obesidade
  9. Medicamentos: Tranquilizantes, antilalérgicos relaxantes musculares
  10. Bebida alcoólica
  11. Tabagismo
  12. Pouca atividade física e maus hábitos alimentares.

Apnéia do Sono

ronco_03Apnéia do sono é definida por paradas respiratórias durante o sono com mais de 10 segundos de duração. Pode variar quanto a etiologia e intensidade. É um problema sério e deve ser identificado o mais precocemente possível para que se evite suas repercussões na saúde e nas atividades do dia-a-dia. Normalmente está associada ao ronco. Estatísticas demonstram que acontecem 4 vezes mais acidentes de carro em quem tem apnéia, porque a pessoa torna-se muito sonolenta durante o dia. Assim como o ronco, a apnéia do sono está freqüentemente associada a obesidade e ao aumento de peso. Podem ser de origem obstrutiva do espaço aéreo superior (assim como desvios de septo, desvios da pirâmide nasal, hipertrofia de cornetos e adenóides, polipose nasais, micro ou retrognatia, hipertrofia de amígdalas, queixo pequeno etc..), como de origem central cerebral mistas ( origem central e obstrutiva), como também pertencerem a síndrome de Pickwick e síndrome restritiva do espaço aéreo superior.

Consequências da Síndrome da Apnéia do Sono

A apnéia do sono pode ter como conseqüência sono excessivo durante o dia, cefaléia matutina ou sensação de peso na cabeça, alterações do humor e concentração, depressão, impotência sexual, hipertensão arterial além das repercussões sociais e entre outras.Diagnóstico e Tratamento do Ronco e da Apnéia do Sono
A diagnóstico é realizado normalmente através de avaliação, inicialmente por médicos especialistas da área da otorrinolaringologia e neurologia e inclui exames de videoendoscopia nasal e laríngea (realizados pelo otorrinolaringologista, exames de imagem - Rx ou Tomografia - exames laboratoriais e a polissonografia (que avalia diversos parâmetros durante o sono). O tratamento pode envolver também profissionais especialistas de outras áreas como cardiologistas, pneumologistas, endocrinologistas, buco-maxilo-faciais, ortodontistas, devido mútiplas repercussões e associações que a síndrome está relacionada. Especificamente em relação ao tratamento do ronco e da apnéia do sono de origem obstrutiva, o otorrino tem importante papel e identificar o problema e indicar a melhor solução através de tratamentos específicos que podem incluir cirurgia conforme a causa.

O tratamento cirúrgico será para corrigir o ponto de obstrução da via respiratória e pode constar de um ou mais procedimentos associados:

  1. FARINGOPLASTIA LATERAL
  2. UVULOPALATOFARINGOPLASTIA E AMIGDALECTOMIA
  3. RINOPLASTIA
  4. SEPTOPLASTIA
  5. TURBINOPLASTIA
  6. POLIPECTOMIA E SINUSECTOMIA
  7. ADENOIDECTOMIA
  8. TRAQUEOSTOMIA 
  9. CIRURGIAS ORTOGNATICAS (BUCO-MAXILO-FACIAL)
  10. CIRURGIAS NA LINGUA

O tratamento também inclui:

  1. MUDANCAS DE HÁBITO DE VIDA ( ATIVIDADE FÍSICA REGULAR E     ALIMENTACAO ADEQUADA ,ABANDONO TOTAL DO CIGARRO )
  2. ANTES TARDE DO QUE NUNCA:Hábitos saudáveis ( lazer, alimentação, exercícios físicos e mentais) são a garantia de juventude prolongada e de melhor qualidade de vida na  velhice mesmo quando adotados mais tarde.

Cirurgias Ortognáticas (Buco - Maxilo - Facial)

Em casos específicos e de pacientes que não podem se submeter-se a cirurgias poderá  estar indicado o uso de aparelhos:

  • CPAP
  • Aparelhos Intrabucais
    É importante que a pessoa que ronca esteja consciente que o ronco geralmente é de origem multifatorial e que muitas vezes procedimentos cirúrgicos e mudanças de hábitos de vida deverão ser associados para que haja sua remissão. O ronco tem conseqüências não só para o indivíduo mas também repercussões sociais e familiares com as quais se convive. Uma noite bem dormida é essencial para a saúde, e isto se reflete positivamente na sua aparência. Um sono de boa qualidade melhora o humor e revigora a sua aparência. Dormir bem é um investimento em saúde e beleza.

INSTRUÇÕES PÓS-OPERATÓRIAS:

CIRURGIA DO RONCO-AMIGDALAS E ADENÓIDES

1º ao 6° - Alimentação pastosa e fria .Os alimentos devem ser ingeridos em pequenas quantidades e  vagarosamente.

Não se expor ao sol "forte" na primeira semana. Voltar à consulta na data informada.

É freqüente acontecer

  1. Dores de ouvido e de garganta.
  2. Mau hálito.
  3. Placas brancas na garganta.
  4. Febre até 38°C.
  5. Prisão de ventre (passando do segundo dia, tomar um laxante).

Comunicar em caso de:

  1. Hemorragia.
  2. Febre alta (38,5º C ou mais).

Guardar repouso 3 dias e falar o menos possível.

A Cirurgia do Ronco é muitas vezes combinada com Cirurgia Estética e Funcional do Nariz. Leia também, orientações sobre Cirurgia Nasal.

Dr. Júlio Stédile tem uma vasta experiência em cirurgia plástica e otorrinolaringológica, sendo uma das autoridades mundiais nestas áreas.

SEJA SÁBIO NA ESCOLHA DO SEU CIRURGIÃO. Existe uma diferença significativa na qualidade do trabalho médico assim como acontece em outras profissões (advogados, professores, políticos, pedreiros, carpinteiros, baby-sitters, encanadores, etc.).

LEMBRE-SE QUE : DIFERENTES CIRURGIÕES TEM FORMAÇÕES MEDICAS DIFERENTES, TEM DIFERENTES FORMAS DE TRABALHAR,  TEM DIFERENTES PERCEPCOES ESTÉTICAS E APRESENTAM DIFERENÇAS SIGNIFICATIVAS NOS SEUS RESULTADOS CIRÚRGICOS

Endereço

Dr. Júlio Stédile M.D.
Av. Dr. Nilo Peçanha, 2825/1403 CEP 91330-001
Bairro Três Figueiras - Porto Alegre/Rio Grande do Sul - Brasil
( Esquina com a João Wallig em frente ao Shopping Iguatemi )
Telefone: (51) 2111-1017 / (51) 2111-1018

Pesquisa

Redes Sociais